EDITORIAL 1a ALVORADA DX

2016-07-25 10.04.54

Este é o 6º Boletim Informativo do CRAI no ano de 2016 – ano 21

Hoje neste dia 27 de JULHO de 2016 – novamente a Estação do CRAI – é colocada no ar, portanto, … para a realização do seu 6º Boletim Informativo deste ano de 2016.

 

Nossos Boletins, agora neste ano, estão sendo realizados apenas uma vez por mês, sempre na última sexta-feira do mês, a partir do QTR das 20:30 Hrs, (hoje extraordinariamente nesta quarta – para avaliação de nosso 1º Alvorada DX do CRAI) ,… originalmente nossas transmissões, são através da freqüência de 145.270, estação repetidora do CRAI., localizada no morro do Brilhante a uma altitude de 647 metros,… irmanada nesta transmissão, com um pool de repetidoras, que compõem parte do chamado Link Catarinense de VHF (estamos desde a grande Florianópolis até o extremo norte do estado de Santa Catarina).

 

#1º EDITORIAL..

 

Nós do CRAI – Clube de Radioamadores de Itajaí, buscando dar continuidade, aos nossos boletins informativos, sempre procurando interagir e dar maior participação aos nossos radiouvintes, estamos hoje novamente, com nossa rodada interativa, onde cada radioamador registrado em nossa chamada, já poderá usar a palavra se assim preferir, nos trazendo o seu comentário, sobre a realização do

1º Alvorada DX do CRAI,  ou sobre algum outro tema de seu interesse, ……….. . . . . . . . . . . . .

Hoje vamos especialmente, falar da nossa Expedição ao Morro da Paciência, onde tivemos no último final de semana a realização do 1º Alvorada DX do CRAI.

 

Vale ressaltar, que muitos de vocês, talvez ainda não saibam, que o morro no qual foi transmitido a nossa Expedição de DX, é uma montanha, muito íngreme e que apesar da pouca altitude de 420 metros ( localizado na zona rural da cidade de Itajaí ), o mesmo tem um elevado grau de dificuldade, para o acesso final ao topo da montanha.

 

Entrando na fazenda, após seguir por uma estradinha de área de reflorestamento, chega-se a uma casa de apoio usada pelos operários, quando em trabalho de limpeza das áreas de reflorestamento do local, nesta casa, ficaram alguns membros do CRAI, os demais subiram de veiculo traçado, até a metade do morro, onde há o acesso a trilha que leva para  o topo da montanha, neste momento, estes destemidos radioamadores, iniciaram uma caminhada de cerca de 500 metros, pelas trilhas que por fim leva a uma coroa de pedra, que há no topo da montanha, onde lá ficamos acampados, num espaço de 6 x 4 metros desde sábado dia 23/07 até o domingo pela manhã dia 24/07.

 

Ocorre que neste trecho de trilha, há um piso molhado, escorregadio, com muitos obstáculos de árvores caídas, infinitos degraus, e a cada passo, parece que nunca irá ter fim tal caminhada, o esforço físico apesar de muito cansativo, nada se compara, ao que se encontra nos últimos 150 metros, a cada dez metros tínhamos, diversas situações de desafio  e perigo real, vários, degraus em pedra com angulação próxima de 70 graus, exigindo que nas semanas anteriores ao evento, tivéssemos que ir lá para colocar várias cordas, ancoradas nas poucas árvores do pico da montanha, afim de apoiar a caminhada de subida. Mesmo com essas cordas, imaginem subir, com mochilas, baterias, antenas, água, mantimentos, lonas, sacos com lenha cortada, etc. isto sem contar, que em ambos dos lados, há precipícios com cerca de 200 metros de profundidade, andávamos no fio da navalha por assim dizer.

 

Realmente foi um grande desafio e até uma prova de sobrevivência. Como Presidente do CRAI e idealizador deste evento, tenho plena consciência, de que os Clubes de Radioamadores e seus membros, não tem o dever nem a obrigação de serem desbravadores, de terem conhecimentos de técnicas de alpinistas ou ainda experiência em sobrevivência, mas entendo, que o que fizemos, nada mais foi, do que colocar em prática uma real situação de calamidade ou de caos, pois lembro bem, que nas enchentes de 2008, quando muitos morros de nossa região literalmente se derreteram, inclusive o morro do brilhante, o qual somente após a ida do exército, conseguiram refazer uma picada para acesso as torres da Embratel, pois  as estradas se findaram, e essa nossa expedição do  1º Alvorada DX do CRAI, colocou  na prática, o que é possível ser feito numa situação destas, provando que destemidos radioamadores, com equipamento nas costas, conseguem nem que seja na unha, subir montanhas e montar potentes e perfeitas estações de transmissão, mostrando desta forma a força e a simplicidade do radioamadorismo, que pode e muito auxiliar aos órgãos gestores de nossas cidades.

 

Quero ainda registrar, que essa nossa expedição, reafirmou ainda mais em nosso meio radio amadorístico, do que somos capazes, sendo através de nossas estações em nossas casas, ou até mesmo aqueles que também nos orgulharam, como seus acampamentos em outros morros, e sítios a fim de fazer contato com nossa estação de DX. Então senhoras e senhores, nosso intuito era sacudir, mexer, inflamar, e reavivar em todos nós a emoção de sermos radioamadores, de termos condições de fazer contatos via DX, para mim PP5 BQ Melo, e para todos os que lá estiveram naquela montanha conosco, foi algo que não tenho palavras para expressar tamanha satisfação e honra em receber os contatos, das mais potentes até as mais humildes estações e por mais fraco que tenha sido o áudio de alguns, o importante é que conseguimos escutar a todos.

 

Ainda estamos nos recuperando de tal empreitada, mas já com o pensamento em fazer outra, ainda neste ano, em outro morro, longe das torres e interferências de qualquer natureza, novamente em uma montanha silvestre da serra do mar em meio a mata atlântica.

 

O 1º Alvorada DX do CRAI”,  teve na sua  programação, fazer uma chamada geral em VHF, freqüência de 146.400 Mhz em simplex, no sábado das 20 horas até as 22 horas, onde os participantes registrados, irão nos próximos dias receber os Certificados de Participação, e no domingo de madrugada, (daí o nome do evento – 1º Alvorada DX do CRAI), das 5 horas da manhã até as 7 horas, fizemos outra chamada geral, da mesma forma e na mesma freqüência 146.400 Mhz, e nesta oportunidade, os radioamadores que tiveram o registro de suas presenças, também irão em breve receber os Certificados de Participação e estavam concorrendo ao sorteio de dois HTs novos na caixa, nós havíamos informado desde o inicio, através de nossos boletins e inclusive pode ser ouvido nas gravações de áudio, de sábado a noite, que seria um por sorteio entre os participantes e outro seria com um critério surpresa (para o radioamador de maior distancia) e se isso fosse divulgado antes, talvez não tivesse dado tão certo.

 

Todos os preparativos de divulgação, panfletos, etc, foram feitos, a fim de que o maior número de radioamadores, ficassem sabendo de tal evento., claro que faltou mais divulgação, mas é assim mesmo, hoje a gente erra, amanhã tenta corrigir o erro.

Precisamos que os radioamadores que ainda não tem cadastro no QRZ ou HAM, enviem seus endereços p/ nós a fim de receber seus diplomas de participação.

 

Envie para nós a sua critica, a sua sugestão e a sua opinião, o nosso e-mail é

boletim@crai.org.br

visite na página na internet www.crai.org.br

 

A TODOS QUE NOS ACOMPRANHARAM,  de todas as formas possíveis… , a todas as crianças e jovens, a TODAS AS SENHORAS E SENHORES RADIOUVINTES, O MEU MUITO OBRIGADO PELA RADIOESCUTA, E BOA NOITE.

Algumas fotos do evento:

 

2016-07-23 09.14.39 2016-07-25 10.09.02 2016-07-25 10.08.44 2016-07-25 10.07.51 2016-07-25 10.05.06 2016-07-25 10.03.472016-07-25 10.08.56 2016-07-25 10.09.02 2016-07-25 10.09.08 2016-07-25 10.09.13 2016-07-25 10.09.18

 

O vídeo que segue, de autoria de PP5ZH, Norberto Nistler, mostra a chegada da equipe na casa de apoio.

 

 

Share on Facebook

2 respostas para “EDITORIAL 1a ALVORADA DX”

  1. Realmente e o radioamadorismo indo alem fronteiras.Sao pessoas assim divulgando o verdadeiro espirito de aventura.Qualquer forma os contatos foram feitos dentro de uma dificuldade.E o radioamadorismo em cada canto do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *